Capela de Nossa Senhora da Glória terá R$ 1 milhão para restauração

0
668
Um convênio assinado na manhã desta terça-feira (25/7) vai garantir a transferência do potencial construtivo no valor de R$ 1 milhão para as obras de restauração da Capela Nossa Senhora da Glória, no Alto da Glória. Foto:Divulgação

Um convênio assinado na manhã desta terça-feira (25/7) vai garantir a transferência de potencial construtivo no valor de R$ 1 milhão para as obras de restauração da Capela Nossa Senhora da Glória, na Avenida João Gualberto, no Alto da Glória. O documento foi assinado pelo prefeito Rafael Greca e pelo arcebispo de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo.

“Agradeço que a Igreja tenha a disposição de manter esse local importante para a história e para a fé”, disse o prefeito. Greca lembrou que a capela foi construída em 1895, a pedido da viúva do Comendador Francisco Fasce Fontana, Maria Dolores de Leão Fontana, e do filho Francisco Fido Fontana.

A capela foi construída em estilo neoclássico pelo arquiteto italiano Antônio Dallegrave, com um zimbório de bronze cônico e um torre sineira alta. Também há um altar feito de couro e madeira de lei, trazidos da Europa, que tem como imagem de maior destaque a Nossa Senhora da Glória, cuja estátua chegou a Curitiba na virada do século 19 para o 20. Ainda foi lá, destacou o prefeito, que começou a devoção de Curitiba à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Entre 1960 a 1969, a capela foi cenário das primeiras novenas do Perpétuo Socorro, que originaram o atual santuário. Em 1980, o município considerou o local como uma Unidade de Interesse de Preservação de Curitiba, pelo então engenheiro urbanista do Ippuc, Rafael Greca, atual prefeito da cidade.

Nos anos 2000, os herdeiros das famílias Fontana, Veiga e Leão decidiram doar a Capela da Glória para a Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Curitiba. Em 2012, o prefeito Luciano Ducci definiu a edificação como Unidade Especial de Interesse de Preservação. O potencial construtivo foi reservado entre 2013 a 2016 até início de 2017, ficando à disposição da Arena da Copa do Mundo.

Neste ano, o prefeito Rafael Greca retomou o programa de potencial construtivo para casas históricas. Duas edificações foram beneficiadas. Além da Capela da Glória, está sendo atendido o Palácio Belvedere, que foi erguido em 1912 no Alto do São Francisco, pelo prefeito Cândido de Abreu.

Dom Peruzzo reforçou a necessidade de se conservar o patrimônio da capela. “Quero lhe assegurar que vamos manter, cuidar e proteger essa edificação, porque é retrato de cansaços, esforços e esperanças”, afirmou. “Quem sabe interpretar o trabalho de quem construiu Curitiba pode olhar o futuro com mais otimismo e ajudar a fazer essa cidade cada vez melhor.”

Participaram o secretário municipal do Urbanismo, Marcelo Ferraz César; o presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert; a superintendente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Castro; o diretor de Patrimônio da Fundação, Marcelo Sutil; o coordenador geral das Administrações Regionais, Dirceu de Matos; o padre José Aparecido Pinto; a assessora jurídica da Mitra da Arquidiocese de Curitiba, Cinthya Ferreira; a assessora técnica da Mitra da Arquidiocese de Curitiba, Maria Helena Eyng; o vereador Geovane Fernandes; além de Jucimara Campelo, da Secretaria do Urbanismo, e Fatima Mercure, da Fundação Cultural.

* Com Prefeitura Municipal de Curitiba

DEIXE UMA RESPOSTA